DesportoReportagem

Miúdos mostram o que valem no ringue

O Recreativo Águias da Musgueira organizou uma Gala de Boxe em que os seus atletas puderam medir forças com representantes de outros sete emblemas.

O ano passado, o clube já tinha promovido uma gala deste género, que agora repetiu com igual ou maior sucesso.

No pavilhão da Escola Secundária do Lumiar, 26 atletas apresentaram-se a um público ruidoso que nunca deixou de incentivar o seu preferido e mostraram o que valem em contexto de competição, se bem que o objectivo era menos o da vitória em si e mais o da preparação para a competição a sério.

13 atletas das Águias da Musgueira defrontaram outros tantos atletas de outros sete clubes, perante cerca de 300 pessoas nas bancadas: familiares, amigos e também aficionados da modalidade.

“Há 20 anos o boxe era visto como desporto de arruaceiros”

Falámos com Carlos Morais, o homem forte do boxe das Águias da Musgueira, treinador de todos os escalões, desde os benjamins aos seniores, masculinos como femininos. Depois de nos explicar que o objectivo do evento era “dar-lhes rodagem, prepará-los para os campeonatos regionais, para o campeonato nacional e para a Taça de Portugal”, provas que decorrem a partir de Maio e que se estendem até ao final do ano, o treinador com 20 anos de prática da modalidade e 10 anos como técnico mencionou também a importância de apresentar ao público o trabalho realizado.

“Cada vez mais se olha para o boxe de outra maneira. Há 20 anos o boxe era visto como um desporto de bairro, de arruaceiros, de marginais. Hoje em dia já há uma mudança de mentalidade, já aparece em contextos variados na televisão, no cinema”. Exemplo disso é o filme “Gabriel”, pronto para estrear nas salas portuguesas neste mês de Março.

Certo de que o boxe tem um efeito muito positivo na formação dos jovens, Carlos Morais assinala o modo como os mais hiperactivos ficam mais calmos e disciplinados e realça que a modalidade os ensina a respeitarem e a serem respeitados. “Tenho visto miúdos que aprendem a ser homens, que crescem para a vida, principalmente neste tipo de bairros. Tem sido muito importante para muita gente, começam a ganhar disciplina, respeito. Para os familiares também, com respeito, com civismo, com cidadania. Se reparar nem polícias ali tínhamos. Há uns anos era mais complicado…”.

Observamos as orientações precisas dos técnicos em cada canto, tentando capitalizar as falhas do adversário e puxando pelo melhor dos seus atletas. Acima de tudo, vemos dentro do ringue grandes provas de desportivismo e fair-play. Como devia ser sempre em todos os desportos!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close