Início » Cultura, Dossier, Local, Outras » “Lusíadas?” abre festival de teatro amador em Marvila

A convite do Teatro Contra-Senso, um grupo de teatro amador de Pombal inaugurou o Festival Oriente-se, apadrinhado pelo conhecido actor Marcantonio del Carlo.

Já começou a segunda edição do Festival de Teatro Amador “Oriente-se”, que ao longo de cinco sábados vai levar muito teatro ao palco do auditório Fernando Pessa, Casa dos Direitos Sociais, Marvila (e que é apoiado pela Junta de Freguesia local). O certame só termina a 3 de Novembro e conta com a participação de vários grupos de teatro amadores de todo o país.

O EXPRESSO do Oriente marcou presença na peça inaugural, protagonizada pelo TAP, de Pombal, e intitulada “Lusíadas?”. Depois de o actor Marcantonio del Carlo dar as célebres pancadas de Moulière (explicando a história que está na sua génese), percorremos os 10 cantos da obra-prima de Camões de forma muito bem-disposta.

A comédia estava genuinamente engraçada, com um excelente ritmo que conquistou o público logo desde as primeiras gargalhadas. A qualidade do texto não ficou atrás do talento do elenco, que deliciou a plateia e mereceu um fortíssimo aplauso no final.

Conversámos com a presidente do Contra-Senso, Sandra Mestre, que nos confessou a expectativa de receber muito público: “Nesta segunda edição do Oriente-se temos vários géneros, da comédia ao drama, por isso é possível vir todos os sábados e encontrar sempre algo diferente. Esperamos aumentar o número de espectadores da primeira edição, voltámos a apostar num padrinho que desse visibilidade ao evento e estamos orgulhosos por oferecermos esta montra cultural à freguesia de Marvila. Recebemos muitas inscrições de grupos de teatro, analisámos as várias candidaturas e tentámos escolher os mais interessantes”.

Também dirigimos o microfone a Marcantonio del Carlo, que considera fantástico haver festivais de teatro amador: “Na época do 25 de Abril o teatro amador tinha muita expressão, depois foi perdendo gás e parece que está de novo a voltar a ter força, muito por culpa do teatro universitário. Os grandes movimentos de teatro contemporâneo e vários grandes nomes foram criados no teatro amador, como a Guilherme Cossoul, José Viana, Raúl Solnado… É um tipo de teatro muito mais próximo da comunidade. Ser padrinho de um festival destes é fantástico!”.

O actor deixou ainda um convite ao público para não perder o Oriente-se: “Venham porque de certeza que os espectáculos serão muito bons. Aproveitem esta oportunidade e valorizem o empenho que esta gente toda pôs neste festival”.

Os bilhetes têm um custo de 3€ e as reservas fazem-se pelas seguintes vias: e-mail – reservas@contrasenso.com; SMS – 962 451 119 – 915 218 002.

Programa

13 de Outubro, 21h30

A Mansão

TACCO – Teatro Amador do Círculo Católico de Operários (Vila do Conde)

20 de Outubro, 21h30

Morrer Devagar

Teatro Vitrine (Fafe)

27 de Outubro, 21h30

A Repartição

Teatro Coelima (Guimarães)

3 de Novembro, 21h30

OPUS

Ajidanha (Idanha-a-Nova)

Sem comentários... Seja o primeiro a comentar!