Cultura

MAC inaugura “After de End” de Teresa Mendonça

O MAC – Movimento Arte Contemporânea tem patente, desde o dia 14 de Outubro, a “Colectiva de Pintura”, uma mostra de pintura e escultura de Américo Prata, Artur Bual, Branislav Mihajlovic, Fernado d’F Pereira, Gil Teixeira Lopes, Gustavo Fernandes, Hilário  Teixeira Lopes, Maria João Franco, Matilde Marçal, Nelson Dias, Pé-Curto, Ricardo Paula, Tim Madeira e  Zoran.

A 3 de Novembro será inaugurada a “After the end”, uma exposição individual de pintura de Teresa Mendonça e estará patente ao público até até 3 de Dezembro de 2021. A inauguração decorre pelas 18h.

Para Álvaro Lobato de Faria, director do Movimento Arte Contemporânea,

“É surpreendente como o universo da artista Teresa Mendonça não deixa de nos fascinar. As suas criações insinuam complexas formas de sentir, deixando-nos envolver pelo cromatismo e luz.

A artista alcança os mais variados e inesperados efeitos utilizando um amplo arsenal de meios pictóricos numa extraordinária adequação a uma finalidade estética e plástica em que a abstração se impõe como resultado iniludível do testemunho da luta da artista com a tela.

Falar da mulher é falar da pintora que há anos a habita, orientando-lhe sentidos e direções, mas buscando nela a força vital que imprime nas telas, a força das memórias, a força de uma pesquisa constante e empenhada em alcançar respostas que há muito deixaram de ser procuradas. Mas a Teresa não desiste. E procura, tela após tela, essas verdades universais que nos distinguem dos outros seres, num repertório simbólico e rico que reflete as preocupações de quem não se cansa, de quem não se acomoda, de quem não abandona o ideal de criar um Mundo de sonho, que consiga diminuir o hiato que se estabeleceu entre o mundo material e o mundo espiritual.

É na vitalidade orgânica desses sonhos que Teresa Mendonça encontra a energia criativa que imprime à sua obra, composta da força e fragilidade que a caracterizam como mulher.

Marcada pela musicalidade que a pincelada exerce sobre a tela, a sua obra é fortemente vincada por um simbolismo metafórico em que o mistério surge como uma grande possibilidade. O mistério desencadeado em telas diversas, em extensas linhas sinuosas que se desenvolvem através de excitantes associações, dos diálogos dos gestos que nos silêncios se fazem.

O vigor e qualidade do conjunto das suas obras, farão com toda a certeza, reafirmar o significativo lugar que a pintura de Teresa Mendonça vem construindo e a que já nos habituou, confirmando o talento, profissionalismo e sobretudo a qualidade criativa desta artista.

Regida por uma intuição feminina, a sua linguagem imagética liberta-se pela atitude imaginária com que nos conduz ao seu universo lírico.

Universo de ternura em que o real e o onírico se cruzam, os vazios e os cheios se complementam, o reflexo e a imagem se confundem. Tudo em Teresa Mendonça é pulsão. Fascínio que toca, que perturba, que sugere, que obriga a olhar. E a cada olhar vemos o quanto nos dá.

O olhar sensível da artista escolhe de entre a vasta multiplicidade de linha e cores existentes, unicamente aqueles motivos orientadores que a atraem pela sua novidade suscitando novas vagas excitantes.

A cor densa da têmpera, enquanto material que veicula a cor, parece emanar, algures de dentro, abrindo caminho através da superfície abstracta da tela branca e exigindo uma estética das relações cromáticas completamente diferentes, provocando na artista, audaciosas improvisações e fortes impulsos no seu trabalho de concentração, frente ao cavalete no seu atelier, fazendo-a elaborar obras autónomas de grande expressividade e forte intensidade criadora.

O cenário de tal tarefa está ligado a uma tentativa de encontrar todas as soluções possíveis para pintar uma única ideia textual através do enriquecimento da gama de associações com ecos do passado e do presente.

Nos seus quadros o elemento de abstracção é claramente intensificado.

Por vezes a artista domina a massa de cores; outras vezes, é ela quem se submete à sua fúria tempestuosa.

A multiplicidade dos modos como Teresa Mendonça concebe os seus quadros, oferece-nos o testemunho da luta da artista com a tela.

Uma reencarnação mágica, parece ter lugar mesmo perante os olhos dos espectadores.

É desta capacidade de sofrer fantásticas transformações, que a massa de cores está dotada, na sua subordinação à vontade duma criadora que se chama Teresa Mendonça e cujas obras são particularmente inimitáveis.

O MAC – Movimento Arte Contemporânea, muito se congratula com esta sua nova exposição, a que a autora intitulou “After the end”, de um distinto nível artístico, dotada de uma técnica singular, de observação muito enriquecedora.”, termina.

A galeria de arte do MAC fica na Avenida Álvares Cabral, nº 58-60 e está aberta de Segunda a Sábado das 15h00 às 20h00. Passe por lá!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close