CulturaDestaqueNacionalSociedade

General Ramalho Eanes e esposa distinguidos nos Prémios MAC 2019

O Movimento Arte Contemporânea, comemorando o seu 25.º aniversário, procedeu à entrega dos Prémios MAC 2019 e agraciou artistas, imprensa e distintas personalidades pelo seu apoio ao trabalho desenvolvido pela galeria.

O espaço na Avenida Álvares Cabral tornou-se muito rapidamente pequeno demais para tantos amigos reunidos, com gente de todas as idades e de variados contextos. Belíssimas obras de pintores e escultores amigos do MAC vestiam as paredes e embelezavam o espaço, ofuscando a própria cor do grande bolo de aniversário que, mais tarde, haveria de ser partilhado por todos.

Dirigindo-se aos presentes, o director coordenador do MAC Álvaro Lobato de Faria começou por afirmar que o Movimento celebrava “vinte cinco anos de uma luta ímpar na área da Cultura, permitindo assim um acesso descentralizado, algo que consideramos ser mais que um dever, mas sim um direito que todos têm em sociedade, promover a equitatividade”. Reforçando a importância do estabelecimento de parcerias, o director apelou à união entre os artistas e todos os agentes no panorama artístico. Mais tarde, faria também uma homenagem aos artistas falecidos, evocando particularmente Elsa Rodrigues dos Santos.

Neste encontro quase familiar de homenagem às Artes, as figuras maiores foram o ex-Presidente da República António Ramalho Eanes e a esposa, Manuela Eanes, tendo o general sido distinguido com o Prémio MAC 2019 – Mérito e Excelência e recebido de presente um retrato assinado por João Barros Silva. Nas suas palavras, o ex-chefe de Estado referiu-se aos artistas como crianças, na visão que conseguem ter do mundo que os rodeia, na capacidade que têm para se interrogar e para expressar de formas surpreendentes as suas ideias. Ramalho Eanes elogiou ainda a ilusão de uma certa utopia com que os artistas nos inspiram a todos.

Os anfitriões, Álvaro Lobato de Faria e Zeferino Silva, chamaram um por um o nome das personalidades, artistas, galeristas e órgãos de imprensa premiados, incluindo o Jornal EXPRESSO do Oriente, representado na ocasião pelo seu director, o Comendador Acácio Soares. Num breve discurso, o director deste jornal referiu como “uma honra e um privilégio ver o nome deste órgão de comunicação social ligado à Arte, daquela que se escreve com letra maiúscula, especialmente à do MAC, instituição pela qual nutrimos especial carinho, não só pela sua missão na sociedade mas também pela sua importância no panorama artístico português”.

“Nos tempos que correm”, afirmou ainda, “eleva-se a Cultura a um estádio de valor maior que, não raras vezes, infelizmente, não passa de um conjunto de palavras ocas que se traduzem na falta de apoios, embora o merecido reconhecimento esteja sempre presente nos discursos de quem tem responsabilidades nesta matéria. No EXPRESSO do Oriente, seja na edição em papel, seja na edição digital, procuramos, com a nossa modesta contribuição e dentro das possibilidades do que representa um jornal local, levar a arte a um público também ele muitas vezes privado do acesso à Cultura”.

Também a RTP e a jornalista Dina Aguiar foram distinguidas, bem como a plataforma Artes & Contextos, o galerista António Prates, o realizador António Lopes da Silva, o director do Centro Cultural Português em Cabo Verde e Guiné-Bissau Mendes Machado, a artista Elsa Rodrigues dos Santos (a título póstumo), a professora escultora Andreia Pereira, a fotógrafa Rosa Reis, o vereador da Cultura da Câmara Municipal de Aljustrel Castro Teles, Ricardo Marreiros (do mesmo município), o jornalista João Campos e ainda a dedicada colaboradora do MAC, Tania Datcheva.

A lista completa de artistas distinguidos inclui Alberto Gordillo, António Carmo, Artur Bual (recebeu em seu nome a filha), Fernando D’F. Pereira, Graciete Rosa Rosa, Hilário Teixeira Lopes, João Duarte, Juan Sanchez, Lourdes Leite, Luísa Nogueira, Maria João Franco, Miguel Barros, Ricardo Paula, Roberto Chichorro e Teresa Mendonça.

Este conjunto de entidades e artistas recebeu do MAC uma peça escultórica assinada por João Duarte, agraciado em 2012 com o “nobel” da medalhística.

Ao terminar da festa, cantou-se os parabéns e brindou-se à Arte e a novos 25 anos de intensa actividade no Movimento Arte Contemporânea!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close