Reportagem

Nuno Ferrand é o vencedor do Grande Prémio Ciência Viva 2022

O biólogo Nuno Ferrand, o físico Pedro Abreu e a rubrica semanal da RTP 1 Minuto Verde, da autoria da Quercus, são os vencedores dos Prémios Ciência Viva deste ano.

O Grande Prémio Ciência Viva 2022 distingue Nuno Ferrand pela sua acção notável na promoção da cultura científica enquanto professor, investigador e divulgador nas áreas da Biodiversidade e da Biologia Evolutiva. A par com a investigação e a capacitação de quadros na área da ciência, a divulgação científica tem tido um lugar de destaque na sua actividade.

O Prémio Ciência Viva Educação 2022 distingue Pedro Abreu pelo seu trabalho na área da educação científica, nomeadamente na organização em Portugal das Masterclasses em Física de Partículas, que dão aos alunos a possibilidade de trabalhar com dados reais obtidos nas experiências do CERN.

O Prémio Ciência Viva Media 2022 distingue Minuto Verde, uma rubrica semanal da RTP 1 da autoria da Quercus, que propõe aos cidadãos conselhos práticos para melhorar o meio ambiente. É emitida desde 2006 no programa “Bom Dia, Portugal”. A Quercus é uma ONG sem fins lucrativos formada por cidadãos com a missão de conservar a Natureza, preservar os recursos naturais e defender o Ambiente, numa perspetiva de desenvolvimento sustentável.

A entrega dos Prémios Ciência Viva terá lugar a 24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica, às 17h00, no Auditório José Mariano Gago, no Pavilhão do Conhecimento, em plena Semana da Ciência e da Tecnologia. A cerimónia será transmitida via streaming através do YouTube.

Estes prémios são atribuídos todos os anos pela Ciência Viva a personalidades e instituições que se destacam pelo seu mérito excepcional na promoção da cultura científica em Portugal, de acordo com uma selecção feita pelos representantes das instituições científicas associadas da Agência Ciência Viva.

Já foram distinguidos com o Grande Prémio Ciência Viva o editor Guilherme Valente, o geólogo Galopim de Carvalho, o botânico Jorge Paiva, os físicos Manuel Paiva e Carlos Fiolhais, o patologista Manuel Sobrinho Simões, a astrónoma Teresa Lago, o astrofísico Rui Agostinho, o físico Alexandre Quintanilha e a bióloga Maria Amélia Martins-Loução.

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close