Nacional

Homenagem a Aristides Sousa Mendes

Aristides Sousa Mendes (1885-1954), o antigo cônsul de Portugal em Bordéus que ajudou mais de 30 mil judeus a escapar ao regime nazi, foi homenageado, no dia 19 de Outubro, com honras no Panteão Nacional. A cerimónia contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, de diversas outras figuras do Estado e familiares do homenageado.

Durante a Segunda Guerra Mundial à medida que o nazismo crescia na Europa, crescia igualmente o número de refugiados judeus, alguns escolheram temporariamente a região de Bordéus, onde o diplomata português Aristides Sousa Mendes, contrariando ordens formais do Governo português de então, presidido por António de Oliveira Salazar, emitiu vistos para milhares deles e suas famílias poderem escapar ao holocausto. Com uma vasta e prestigiada carreira na diplomacia portuguesa, esta atitude acabaria por lhe custar o cargo que ocupava, sendo destituído em 1940.

Viúvo e longe dos seus 15 filhos, a maioria emigrados, morre em 1954 no Hospital da Ordem Terceira, em Lisboa, só e avultadas dificuldades financeiras. A casa que possuía acabou por ser vendida em hasta pública para pagar dívidas.

Portugal rende-lhe agora uma merecida homenagem com a colocação de uma placa evocativa no Panteão Nacional, os seus restos mortais permanecem na sua terra natal, em Cabanas de Viriato, distrito de Viseu.

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close