Local

Comunicado da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior

A Junta de Freguesia de Santa Maria Maior lamenta, em comunicado enviado às redacções, que a Câmara Municipal de Lisboa persista na implementação de uma ciclovia contígua à Praça do Martim Moniz. Transcrevemos, na íntegra, o comunicado enviado pela autarquia local.

“COMUNICADO | Ciclovia no Martim Moniz

Junta de Freguesia opõe-se a solução prematura

A Junta de Freguesia de Santa Maria Maior lamenta a persistência da Câmara Municipal de Lisboa na implementação de uma ciclovia contígua à Praça do Martim Moniz. A intervenção, já em curso, é prematura e inadequada às necessidades da população que vive e circula diariamente nesta zona, face à configuração atual da praça e da circulação rodoviária.

A implementação da ciclovia é tanto mais incompreensível neste momento em que se encontra em fase de discussão pública uma requalificação integral da Praça do Martim Moniz, que resultará naturalmente numa transformação global com implicações na mobilidade e acessibilidades. A eventual implementação de uma ciclovia apenas fará sentido se integrada num projeto global de requalificação, ainda a aprovar.

A Junta de Freguesia de Santa Maria Maior esclarece que não é contrária à implementação de soluções indutoras de mobilidade suave, designadamente as ciclovias. Apenas considera que estas se devem integrar num plano geral de mobilidade e circulação no centro histórico, o qual deverá ter em conta as diversas variáveis presentes no território, garantindo-se um necessário equilíbrio entre a qualidade ambiental, vida económica e direito à mobilidade dos seus residentes.

É assim necessária uma profunda discussão pública e ampla reflexão sobre os planos de acessibilidades e mobilidade no acesso e circulação no centro histórico, nomeadamente considerando as premissas da ZER – Zona de Emissões Reduzidas Avenida Baixa Chiado, anterior a novas intervenções.

O traçado atual para a ciclovia na Praça do Martim Moniz será responsável por causar tremendo incómodo à circulação rodoviária e pedonal e por retirar aos residentes lugares de estacionamento, sem que estejam ainda encontradas alternativas para suprir esta perda.

Os residentes de Santa Maria Maior e do bairro da Mouraria, que tanto têm sido massacrados ao longo do tempo por diferentes fatores que impedem a fixação de população nesta zona e têm causado a saída de muitas famílias, não podem ser prejudicados por esta medida casuística. Assim, a Junta de Freguesia de Santa Maria Maior solicita a imediata suspensão da implementação desta ciclovia, até que esteja aprovado o projeto de requalificação da Praça do Martim Moniz, agora em fase de discussão pública.

Lisboa, 28 de junho de 2021

O Presidente da Junta,

Miguel Coelho”

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close