Início » Local, Outras » Protesto impedido por membros da extrema-direita

Na passada quinta-feira, dia 5 de Outubro, um grupo de pessoas em protesto contra a estátua do Padre António Vieira foi impedido de se manifestar por indivíduos ligados à extrema-direita.

O objectivo dos organizadores do protesto, que foi comunicado previamente à Câmara Municipal de Lisboa, era criticar a estátua do Padre António Vieira que foi erguida em Junho no Largo Trindade Coelho.

O monumento em questão resulta de um protocolo celebrado entre a Câmara de Lisboa e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para a requalificação do Largo Trindade Coelho, em 2009, através do qual a Santa Casa assumiu a responsabilidade pela concepção e execução da estátua, que fica agora mesmo em frente à sua sede.

Os manifestantes pretendiam depor flores aos pés da estátua e promover um momento cultural, nomeadamente com recitação de poesia, com o intuito de sensibilizar para as temáticas do racismo e das vítimas da escravatura, além de homenagear os ameríndios, ou seja, os povos nativos do continente americano.

Contudo, a presença de um grupo de extrema-direita impediu a realização do protesto. Cerca de uma dezena de indivíduos munidos de bandeiras de Portugal, a mensagem “Portugueses primeiro!” e ligados a um movimento de cariz nacionalista com o mesmo nome, chegaram antecipadamente ao local da estátua e não desmobilizaram até que os organizadores do protesto tivessem abandonado a praça.

 

 

Não houve confrontos e a PSP não foi obrigada a intervir.

Sem comentários... Seja o primeiro a comentar!