Destaque

Manifestantes interromperam Almirante Reis

Em protesto climático, um grupo de manifestantes ocupou durante algumas horas o cruzamento entre a Avenida Almirante Reis e a Rua de Angola, até ser desmobilizado pela PSP.

O episódio aconteceu na passada sexta-feira, dia 27 de Setembro, tendo os manifestantes interrompido a circulação rodoviária naquele troço, uma vez que permaneceram sentados (e com tendas de campismo) nas faixas de rodagem.

A acção de protesto ocorreu paralelamente à manifestação da greve climática global (cujos participantes efectuaram um trajecto entre o Cais do Sodré e o Rossio) e foi convocada pelo grupo “Extinction Rebellion Portugal”. Os manifestantes empunhavam cartazes ligados às alterações climáticas e à inacção dos Estados e dos líderes políticos, entoavam palavras de ordem com o apoio de tambores e cantavam, por exemplo, o célebre “Grândola, vila morena”. Em declarações à imprensa, porta-vozes da acção afirmaram-se em desobediência civil, não temendo a detenção, se fosse necessário.

Ainda durante a tarde, a PSP acorreu ao local e procurou convencer os participantes na acção de protesto a desocuparem a via, de modo a permitir fluir o tráfego automóvel, mas os manifestantes não acederam ao pedido, garantindo apenas a libertação de espaço para deixar passar veículos em marcha de emergência.

Mais tarde, por volta das 19h30, e após vários avisos, os elementos das forças de segurança procederam à remoção dos manifestantes (que permaneciam de mãos entrelaçadas), um por um, desviando assim o protesto para a Rua de Angola. O protesto manteve-se naquele local por mais duas horas, altura em que começou a desmobilização.

De acordo com informação confirmada pelo Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, foi detida uma pessoa por resistência à ordem policial.

Recorde-se que o grupo “Exctinction Rebellion” foi notícia em Portugal quando perturbou e interrompeu um discurso do primeiro-António Costa em Abril. Na altura, o objectivo foi protestar contra a construção do novo aeroporto no Montijo.

(fotos: Facebook “Rebellion Extinction Portugal”)

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close