DestaqueNacional

Entrámos na fase de mitigação

Pelas 00 horas desta quinta-feira, 26 de Março, Portugal entrou oficialmente na fase da mitigação da pandemia Covid-19.

Foi na conferência de imprensa diária que a directora-geral da Saúde, Graça Freitas, anunciou que à meia-noite Portugal entraria na fase de mitigação da pandemia. “Estamos na fase 3.2. Temos transmissão comunitária. Não é exuberante nem descontrolada, mas existe”, afirmou a responsável. A fase de mitigação segue-se à da contenção alargada, aquela em que estávamos até agora.

A nova fase implica uma subida de nível no estado de alerta, de acordo com o Plano Nacional de Preparação e Resposta à Doença provocada pelo novo coronavírus, sendo que existem três níveis – o da contenção, o da contenção alargada e o da mitigação – cada um deles subdividido em dois outros níveis. Se estamos na fase 3.2, significa que se verifica quer o 3.1 – transmissão local em ambiente fechado, quer o 3.2 – transmissão comunitária, de acordo com a imagem em anexo.

Ansiamos pelo momento de poder dizer que entrámos na fase de recuperação, a última do quadro.

Com a entrada na fase de mitigação, o que muda passa essencialmente pela afectação e prontidão de resposta dos hospitais e centros de saúde, incluindo as unidades privadas e do sector social. O isolamento dos doentes com Covid-19 é realizado nas suas casas e são considerados casos suspeitos todos os casos com sintomas ligados à doença: tosse persistente, febre a partir dos 38 graus e dificuldades respiratórias.

No caso de sentir este tipo de sintomas, deve ligar para a Linha de Saúde 24 (808 24 24 24) ou para o seu centro de saúde, nas linhas especificamente dedicadas a triar casos de Covid-19. Poderá receber um de quatro tratamentos: isolamento em casa sob vigilância, para casos ligeiros; encaminhamento para o centro de saúde, para sintomas moderados; encaminhamento para o serviço de urgência, para sintomas graves; e mobilização do INEM, nos piores casos.

Em todos os casos, recomenda-se que siga escrupulosamente as indicações das entidades de Saúde. Nunca é demais recordar a máxima que nos deve orientar por estes dias: fique em casa!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close