Reportagem

Alerta contra a doença da Próstata

 

P1070848A Associação tem sede nos Olivais, já tem nove anos de existência e tem à disposição de todos os interessados uma linha telefónica para os apoiar e aconselhar sobre o cancro da próstata.

Foi em 2004, quando descobriu que tinha cancro na próstata, que o general Pereira Pinto, desafiado pelo seu médico, decidiu criar uma associação para todos os homens que, tal como ele, padeciam desta doença. Essencialmente masculina, a Associação Portuguesa de Doentes da Próstata pretende ser um local de encontro, onde os homens podem trocar as suas  experiências sobre a doença e onde podem aconselhar outros sobre os cuidados que devem ter para evitar ou combater a mesma.

Uma nova direcção, o mesmo objectivo

Nove anos depois, o generaljá não está entre nós, mas o seu legado continua. Joaquim Domingos, Joaquim Borges e Teodósio Salguei ro são alguns dos associados que decidiram assumir o comando desta associação, que possui, actualmente, mais de 200 sócios.

“O nosso principal objectivo é mostrar aos homens que esta doença pode ser evitada se a pessoa for cautelosa e se se antecipar à doença, o que não aconteceu connosco. Estamos aqui

para lhes mostrar o que é a doença da próstata e ajudá-los no que for preciso”, afirma Joaquim Borges, o tesoureiro da instituição.

Todos os associados já passaram pela doença e querem ajudar outros homens que estejam a passar pela mesma situação. Não ter vergonha de assumir a doença e não ter receio de fazer exames, como o do toque rectal, são atitudes que a associação pretende incutir, pois “quanto mais cedo a pessoa detectar o cancro, mais facilmente o consegue combater”.

“Fui operado há dez anos e na altura pensei que ia morrer. Agora tenho muito mais cuidados porque a teimosia dos homens é o que faz com que esta doença avance. São raros os que morrem se conseguirem identificar o seu problema com antecedência”, diz Joaquim Domingos, presidente da associação.

É, sobretudo, através da sua Linha S.O.S. que a associação presta apoio aos seus associados, mas tem também as suas instalações, nos Olivais, disponíveis para receber todos aqueles que necessitem de tirar dúvidas, desabafar e pedir conselhos.

Apoio feminino

Apesar de ser uma doença masculina, a mulher tem um papel essencial para vencer a doença. Sendo a impotência uma das possíveis consequências do cancro, a mulher assume um papel fundamental no apoio ao marido, companheiro ou namorado para que, juntos, mantenham a harmonia do casal. A comunicação e compreensão entre ambos é essencial para preservar o bem-estar e o amor.

Vários associados que vivem esta situação defendem que a sua vida amorosa não mudou, apenas tiveram que adaptar-se à sua nova condição.

“Uma das maiores preocupações do homem é ficar impotente. Isso pode nem sequer chegar a acontecer, mas na cabeça de muitos homens isso acontece logo. A mulher exerce, por isso,  ma função muito importante no apoio ao homem”, defende Joaquim Domingos.

A próstata é uma glândula situada na pélvis que, a partir dos 18 anos tem tendência a crescer,  de forma lenta.  O crescimento anormal e desordenado da glândula pode ser indicativo da existência de cancro, que, na maioria dos casos, só é identificado a partir dos 40 anos.

No entanto, pode ser detectado mais cedo, através da realização de exames médicos específicos como o toque rectal ou uma análise sanguínea.

“Não espere por sintomas e faça testes regularmente” é, por isso, a mensagem da Associação Portuguesa de Doentes da Próstata que pretende que os homens se apercebam que são os únicos capazes de combater a doença de forma eficaz

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close