Início » Desporto, Dossier, Reportagem » Miúdos jogam à bola nas areias de Marvila

Ainda decorria o mês de Dezembro quando o campo de areia do Clube Futebol Chelas foi o palco da primeira edição do Torneio Infantil de Natal de Futebol de Praia.

O título desta notícia pode surpreender os mais desatentos, mas é mesmo verdade que há areia em Marvila: falamos do campo de jogos do CF Chelas, a novíssima Arena Manuel Ferreira, sita na Rua Oliveira Cadornega, em homenagem ao antigo dirigente e fundador do clube.

O torneio incluiu jogos disputados em dois escalões, os de sub-10 e sub-13, envolvendo quatro clubes, todos sediados na Freguesia de Marvila: Clube Futebol Chelas, Clube Oriental de Lisboa, Futebol Clube Recreativo do Rossão e Torre Laranja Futsal Clube. Além destes jogos, também se realizou um jogo treino entre as equipas seniores do CF Chelas e do Rossão.

A vitória sorriu à formação de Chelas nas duas finais do torneio infantil (e também no jogo treino dos seniores), sendo que os mais novos bateram o Torre Laranja e os mais velhos o Rossão.

O fair-play foi uma constante, a animação musical deu um ambiente de Verão e até o sol fez esquecer que estávamos em Dezembro. Nas bancadas, além dos familiares, também alguns curiosos quiseram assistir aos encontros. Coube aos mais novos entoar gritos de incentivo, aplaudir e festejar os golos… que, como é habitual no futebol de praia, foram uma data deles!

Projecto a médio e longo prazo

O Jornal EXPRESSO do Oriente marcou presença nesta competição e quis falar com dois jovens jogadores do clube da casa, João Rodrigues e Guilherme Roberto, mesmo antes de entrarem em campo.

Sendo que o projecto de formação de futebol de praia começou em Agosto, ambos os rapazes fazem parte praticamente desde o início, levando, portanto, cerca de quatro meses de prática.

“Sou jogador de futebol no Olivais Sul, vim fazer esta experiência, gostei e fiquei com mais amigos”, revela João, com 12 anos.

Guilherme, com 11 anos, também joga à bola nos relvados da freguesia vizinha: “O futebol de praia é uma modalidade que gostava quando via na televisão e que achei engraçado experimentar. Gostei e também fiquei”, resume.

Quando perguntamos pelos jogadores preferidos, a sua resposta é natural e “diplomática”: Madjer e Marinho. O melhor do mundo tinha de estar na lista, mas o “mister” que lhes tem ensinado o bê-á-bá do futebol de praia também tinha de ser uma referência incontornável.

“O Marinho ensina-nos tudo, a parte técnica e táctica, o que fazer no campo… é um bom treinador!”, afirmam, completando as afirmações um do outro. E claro, ambos ambicionam ser futebolistas!

Um pouco mais tarde, também passámos o microfone ao próprio Marinho, que nos habituámos a ver na televisão, envergando as cores nacionais nas competições que tantos títulos deram a Portugal.

“Temos vindo a desenvolver este projecto no Chelas desde Agosto e tem corrido muito bem, tem sido muito gratificante. Os sub-13 e os sub-10 acabam por ser escalões muito abrangentes, porque temos aqui meninos com apenas 5 anos, todos os que nos procuram e pedem para treinar, nós aceitamos. Tentamos transmitir os conhecimentos que temos, num processo lento de aprendizagem. Eles têm vindo a assimilar e consideramos que temos aqui o futuro do futebol de praia português”.

A estrela do futebol de praia, que chegou ao CF Chelas depois de quatro anos no Sporting, considera que a equipa marvilense está bem apetrechada para tentar a subida de divisão para o convívio entre os grandes, na Divisão de Elite do Campeonato Nacional. Quanto às escolinhas, não tem dúvidas do encanto da modalidade: “Nota-se que todas as crianças que pisam aqui a areia já não querem sair, porque é um desporto muito bonito”.

O trabalho com os meninos pretende que daqui a 4/5 anos possam integrar os seniores e disputar então o primeiro escalão da competição nacional. Boa sorte!

Sem comentários... Seja o primeiro a comentar!