Destaque

“Primeira Pedra Mansarda”

O projecto de uma residência para artistas quer lançar a sua primeira pedra de uma forma especial e solidária: apelando à consignação de 0,5% do IRS dos portugueses.

Dada a conhecer em Janeiro de 2019, a Mansarda – uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) – tornou pública a sua vontade de criar e gerir uma ou mais residências que apoiem, em regime de alojamento temporário ou permanente, pessoas que estejam ligadas às mais variadas vertentes artísticas, promovendo a interacção de gerações e a criação artística.

Neste momento, a organização pretende que o projecto (https://mansarda.pt) avance para uma nova fase, com o lançamento da primeira pedra da obra da construção da residência para artistas.

Para assinalar o momento e de forma a captar a atenção do público para o projecto, que conta com uma base pro bono, a IPSS vai materializar a ideia de “lançamento de primeira pedra” numa pedra real, tendo desenvolvido uma campanha com base neste conceito idealizada pela agência de publicidade FCB. Depois de esterilizada, a pedra irá passar pela mão de vários artistas que apoiam o projecto, ficando “impregnada” com o ADN da cultura artística para a qual a Mansarda está orientada. O objecto será selado numa caixa de vidro, podendo ter múltiplos usos, como uma angariação de fundos para a Mansarda.

“Esta é a primeira pedra de um sonho que já nasceu em 2014. Uma pedra que foi apenas tocada por artistas portugueses que generosamente apoiam a Mansarda e que será a primeira de uma casa que iremos construir para os nossos artistas tenham um refúgio quando necessitem”, esclarece Patrícia Vasconcelos, a mentora do projecto. A campanha “Primeira Pedra Mansarda” pretende chegar a todos, apelando ao contributo de empresas e das pessoas em geral através da declaração de IRS, já que faz parte das instituições que podem beneficiar da consignação de 0,5% do IRS.

Recorde-se que a residência tem a assinatura do arquitecto João Luís Carrilho da Graça e vai contar com um total de 160 camas. Das várias valências do espaço, destaca-se, por exemplo, um auditório com capacidade de 200 lugares e no qual se pretende desenvolver programação cultural, cujas receitas irão reverter para a gestão da IPSS. Com uma sala de formação, uma sala de reabilitação e ainda uma horta biológica, a residência irá integrar também um restaurante aberto ao público que tem como objectivo promover a aproximação e interacção daqueles que habitam a Mansarda com a comunidade.

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close