Reportagem

Festival de Teatro Amador ORIENTE-SE: um balanço

Terminou no princípio de Novembro a 2.ª edição do Festival de Teatro Amador ORIENTE-SE, que o Teatro Contra-Senso fez regressar à Casa dos Direitos Sociais, em Marvila.

Ao longo de cinco sábados, entre Outubro e Novembro, cinco grupos de teatro amador oriundos de todo o país – Pombal, Vila do Conde, Fafe, Guimarães, Idanha-a-Nova – trouxeram ao Auditório Fernando Pessa o seu talento e a sua criatividade artística.

O Jornal EXPRESSO do Oriente não podia faltar à chamada e marcou presença em três dos cinco espectáculos, com várias reportagens que estão disponíveis aqui no nosso site.

No último espectáculo, que levou à cena a pela “OPUS” pela Ajidanha, de Idanha-a-Nova, conversámos com a presidente do Contra-Senso, Sandra Mestre, pedindo-lhe um balanço da segunda edição do festival.

“Fazemos um balanço muito positivo, embora tivéssemos gostado de ter um pouco mais de público, porque gostamos sempre de ter casa cheia. É um desafio fidelizar o público e tornar a experiência do teatro algo mais rotineiro. Quisemos trazer vários estilos de teatro, para que as pessoas viessem todos os sábados e encontrassem sempre algo diferente, e também várias zonas do país, para uma maior diversidade. Penso que conseguimos um bom equilíbrio e um óptimo festival. Temos de agradecer à Junta de Freguesia de Marvila pelo seu apoio, à Câmara pela cedência do auditório, à Grafe pela concepção criativa da imagem do festival e ainda à AMBA, a associação que mobilizou muito público para os nossos espectáculos”, resumiu a responsável.

Por seu turno, o presidente da Junta de Freguesia de Marvila manifestou-nos o seu orgulho no Contra-Senso: “Congratulamo-nos pelo sucesso deste segundo festival Oriente-se, é um trabalho muito digno desenvolvido por este grupo de teatro, que já leva 20 anos de actividade, em prol da Cultura e da Freguesia de Marvila. Já estamos ansiosos pela terceira edição, inserida no âmbito dos 60 anos da nossa freguesia, e pelo efeito positivo que tem na oferta cultural de qualidade à população da zona oriental da cidade de Lisboa”.

Da encenação mais divertida que já vimos dos Lusíadas, pelo TAP de Pombal, à comédia filosófica “OPUS” que colocou Deus no divã do seu psicólogo, adorámos esta segunda edição do ORIENTE-SE. Certamente o seu padrinho, o actor Marcantonio del Carlo, também estará bastante satisfeito!

Parabéns, Teatro Contra-Senso!

Ver mais

Artigos relacionados

Veja também

Close
Close