Dossier

Procura um crédito pessoal? 3 conselhos essenciais antes de aderir a um

 O crédito pessoal é uma das cartas mais jogadas pelos portugueses na hora de procurarem financiamento para remodelar a casa, comprar um carro ou eletrodoméstico, fazer férias ou dar corpo a um projeto profissional, entre outras coisas.

Contudo, tal como acontece em qualquer decisão relacionada com a contratação de uma ferramenta financeira, é importante ponderar muito bem a decisão tendo em atenção uma série de fatores.

Com isto em mente, se está a pensar aderir a um crédito pessoal, tome nota de 3 conselhos essenciais antes de partir para a sua contratação:

1 – Avalie a sua condição financeira

Antes de partir para a pesquisa e eventual contratação de um crédito pessoal avalie a sua condição financeira calculando a taxa de esforço.

Esta taxa que se calcula dividindo os Encargos financeiros com as prestações de crédito pelo Rendimento Líquido Total do Agregado e multiplicando o resultado por 100 é importante para perceber não só se o seu orçamento familiar comporta o pagamento das prestações decorrente do crédito, mas no processo de aprovação do mesmo, uma vez que caso a taxa de esforço ultrapasse os 35% recomendados pelo Banco de Portugal, poderá ter dificuldades em ver o seu pedido aprovado.

Por isso, entre outras coisas, se pretende efetuar um pedido de empréstimo pessoal é importante que aufira um rendimento estável de modo a evitar um futuro risco de incumprimento no pagamento das respetivas prestações.

Para além de ser fundamental para si, este item é igualmente relevante para os bancos/instituições financeiras que lhe vão disponibilizar o crédito, uma vez que estas terão esse fator em conta no momento de dar seguimento ao seu pedido.

2 – Compare as propostas existentes no mercado tendo em atenção os termos do contrato e potenciais custos adicionais

Pela importância da decisão que pretende tomar, é essencial que faça uma análise das muitas e variadas propostas existentes no mercado financeiro português.

Para o ajudar nesta tarefa, faça uso dos simuladores de crédito que os bancos/instituições financeiras lhe disponibilizam.

Por exemplo, se na sua pesquisa parar na página de crédito pessoal do UNIBANCO, marca da UNICRE – instituição financeira de crédito, vai encontrar um simulador de crédito pessoal onde pode efetuar uma simulação de financiamento (com possibilidade de seguro) para valores entre os €5.000 e os €75.000, bem como optar por prazos de pagamento que oscilam entre 24 e 84 meses, dinheiro que pode entrar na conta bancária no espaço de alguns dias úteis se o cliente quiser um crédito pessoal rápido.

Imaginemos que pretende pedir 15 mil euros e pagá-los no prazo de 36 meses. Tendo em conta estas condições prévias, irá obter um valor de mensalidade de 487,19 euros (TAN 10,050% e TAEG 130%. MTIC €17.935,20).

Caso a proposta lhe agrade e desejar prosseguir com o pedido, pode concluir o processo na mesma página dado que no UNIBANCO todos os pedidos de adesão às suas múltiplas soluções de financiamento podem ser concretizados de forma 100% digital.

Contudo, leia com atenção todas as informações do contrato conferindo quanto e quando vai pagar e quais as condições. Para além disto, informe-se sobre potenciais custos adicionais, como comissões de abertura e impostos (o imposto de selo é o mais comum) que podem aumentar o valor que terá de pagar.

Por isso lembre-se, é importante ler todas as linhas do seu contrato, sobretudo as famosas “letras pequenas”.

Voltando ao exemplo do crédito pessoal online do UNIBANCO, este produto financeiro não tem comissões de abertura, as mensalidades são fixas e, como está disponível para clientes de qualquer banco, não existe a necessidade de o cliente mudar de banco.

Lembre-se que analisar condições de financiamento não é um processo simples, pelo que não deve ser encarado com sobranceria.

A simulação apresentada diz respeito a um financiamento de €15.000 a pagar em 36 mensalidades de €487,19. TAN 10,050% e TAEG 13,0%. MTIC €17.935,20.

3 – Análise as taxas de juro

Ao valor das prestações mensais, ao prazo de pagamento e ao MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor), que é a soma total dos encargos que terá pelo empréstimo concedido, deve sempre ter em atenção as taxas de juro e spread que serão aplicados quando pedir o crédito.

De referir que quando pedir um crédito pessoal pode optar por uma taxa de juro fixa, variável ou mista, dependendo da sua preferência. O crédito pode ainda estar indexado à Euribor a 3, 6 ou 12 meses.

Nas taxas de juro deve focar-se, particularmente, na TAEG (Taxa Anual Efetiva Global), uma vez que esta taxa engloba todas as despesas do crédito que tem de assumir.

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close