CulturaDestaque

Museu do Tesouro Real é a nova jóia de Lisboa

É no Museu do Tesouro Real, inaugurado a 1 de Junho, na ala poente do Palácio Nacional da Ajuda, que as joias da Coroa e as peças da ourivesaria real portuguesa passam a estar expostas, pela primeira vez em morada própria e permanente.

O novo equipamento cultural da capital portuguesa tem como desígnio projectar Lisboa como um destino cada vez mais atractivo para residentes e visitantes de todas as partes do mundo.

Resultado da bem-sucedida relação entre a Cultura e o Turismo, o Museu do Tesouro Real irá expor uma colecção com mais de mil peças, que em muito enriquece a qualidade e diversidade da oferta cultural de Lisboa do eixo Belém e Ajuda.

O acervo único de valor patrimonial inestimável exposto no Museu do Tesouro Real é constituído por raras e valiosas joias, insígnias e condecorações, moedas e peças de ourivesaria civil e religiosa, como é exemplo a coroa, a laça de esmeraldas de D. Mariana, aquela que se pensa ser a segunda maior pepita de ouro do mundo ou a caixa de tabaco encomendada por D. José ao ourives do Rei de França, no séc. XVIII, e que a amante de Luís XV não queria deixar sair de Paris.

Estes símbolos de poder e objectos pessoais de luxo representam uma das mais importantes colecções mundiais, pela sua dimensão, raridade e qualidade e contam a história de Portugal vivida a partir do Palácio Nacional da Ajuda, a casa dos últimos reis de Portugal. O espólio do Museu do Tesouro Real está instalado numa das maiores caixas-fortes do mundo (40 metros comprimento, 10 metros de largura e 10 metros de altura), com três pisos, munida com sofisticados equipamentos de segurança e videovigilância, portas blindadas de cinco toneladas, vitrines com controlo de temperatura e humidade e vidros à prova de bala.

A totalidade do projecto, que incluiu a obra de remate da ala poente do Palácio Nacional da Ajuda que esteve inacabada durante 226 anos, bem como a requalificação do espaço público na Calçada da Ajuda, representa um valor de investimento de 31 milhões de euros, maioritariamente viabilizado pelo Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa (18 milhões de euros). O Ministério da Cultura/DGPC investiu quatro milhões e 800 mil euros e a Associação Turismo de Lisboa investiu nove milhões de euros.

O projeto museológico é da responsabilidade da Direcção Geral do Património Cultural (arquitecto João Carlos Santos) e do Palácio Nacional da Ajuda, tendo sido o layout de museografia concebido pela “Providência Design”. A execução do projecto, incluindo a obra no Palácio, foi da responsabilidade da Associação Turismo de Lisboa, por incumbência da Câmara Municipal de Lisboa, com o acompanhamento da Direção Geral do Património Cultural. A gestão científica do Museu é da responsabilidade do Palácio da Ajuda e a gestão operacional e turística fica a cargo da Associação Turismo de Lisboa.

Com o empenho de todas as partes envolvidas, o Museu do Tesouro Real realça o valor artístico e simbólico das peças, explicando o seu papel ao serviço da monarquia, nas funções cerimoniais de representação do poder régio, na devoção real, na actividade diplomática ou no colecionismo oitocentista.

Horário

  • Verão: Todos os dias, das 10h às 19h
  • Inverno: Todos os dias, das 10h às 18h

Bilhetes

  • Jovens (7 aos 24 anos) e Seniores (maiores de 65 anos): €7
  • Adulto (25 aos 64 anos): €10
  • Crianças (0 aos 6 anos) e portadores do Lisboa Card: Gratuito
  • Escolas: €2
  • Família (2 adultos e 2 jovens): €32
  • Parceiros/Grupos: €8

Localização: Palácio Nacional da Ajuda, Largo da Ajuda, 1349-021 Lisboa

Autocarros: Carris: 729, 732, 742

Elétrico: 18

City Tours: Hop on Hop off; Cityrama; Carristur

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close