DestaqueDossier

Lisboa já é oficialmente Capital Europeia Verde 2020

A cidade de Lisboa tornou-se oficialmente a Capital Verde Europeia 2020 este sábado, dia 11 de Janeiro, com as cerimónias a decorrerem no Parque Eduardo VII.

O Estado português esteve representado ao mais alto nível, visto que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, participaram nas cerimónias oficiais, acompanhados do secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres e do vice-presidente da Comissão Europeia, Franz Timmermans. Além do edil lisboeta, Fernando Medina, também participaram o comissário europeu para o Ambiente, Oceanos e Pescas, e o presidente-governador da Câmara de Oslo, a cidade que passou o testemunho à capital portuguesa.

Ainda antes do hastear de uma bandeira portuguesa feita com plástico marítimo reciclado, no topo do Parque Eduardo VII, foi inaugurada a exposição “ONE – O mar como nunca o sentiu”, no Oceanário de Lisboa. A exposição vai permanecer no equipamento e pretende dar aos visitantes uma experiência multi-sensorial que mostra a relação entre os homens e o mar, sob o prisma da sustentabilidade e da preservação, com imagens da portuguesa Maya, cineasta, fotógrafa e especialista em fotografia subaquática em movimento. Todas as imagens foram recolhidas no mar português.

Já no Pavilhão Carlos Lopes, no período da tarde, foram apresentadas várias medidas que prometem tornar Lisboa mais verde, mais sustentável e mais amiga do ambiente. Do imenso rol de medidas, Lisboa compromete-se a: reduzir em 60% as emissões de CO2 em relação a 2002 e atingir a neutralidade carbónica em 2050; concluir uma central fotovoltaica para abastecimento de frota eléctrica da Carris e atingir os 103 MW de energia solar fotovoltaica obtida através de painéis solares instalados em toda a cidade; instalar uma rede de distribuição de água reciclada até 2025; investir na drenagem da cidade com bacias de retenção naturais e na eficiência hídrica da rede; aumentar a rede ciclável; renovar a frota da Carris; aplicar novas restrições à circulação automóvel no centro da cidade; aumentar a recolha selectiva de resíduos; construir mais 350 hectares de áreas verdes até 2022.

António Costa anunciou também que, a partir de 1 de Fevereiro, todos os ministros circularão em Lisboa e na área metropolitana apenas em viaturas eléctricas. Como contributo simbólico para as metas da capital no âmbito da neutralidade carbónica, a residência oficial do primeiro-ministro será neutra até ao fim do ano, diminuindo e compensando as 85 toneladas de dióxido de carbono que emite.

“Escolhe evoluir” é o lema do evento que só termina daqui a um ano, a 11 de Janeiro de 2021, mas que vai ter repercussões nas próximas décadas, com os projectos lançados e as metas de neutralidade carbónica assumidas.

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close