Destaque

Apresentação dos projectos BIP/ZIP 2019-2020

A edição de 2019/2020 do programa BIP/ZIP foi apresentada no coração de um dos bairros que tem acolhido a implementação de projectos de desenvolvimento local: o Bairro Bensaúde.

O programa BIP/ZIP – Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária na cidade de Lisboa foi criado pela Câmara Municipal de Lisboa em 2011, ano em que foram aprovados os primeiros 32 projectos a receber financiamento municipal.

Nove edições depois, e incluindo os 44 novos projectos cuja implementação já pode começar depois das cerimónias protocolares desta semana, o número de iniciativas BIP/ZIP subiu para 354, envolvendo um total de 625 entidades parceiras. Foram 2213 actividades que abrangeram 143 mil habitantes e aplicaram 14,1 milhões de euros em 67 territórios.

A vereadora da Habitação e Desenvolvimento Local da CML, Paula Marques, era, por isso mesmo, uma pessoa feliz na primeira sessão de assinatura dos protocolos a celebrar entre o Município e os representantes das associações e instituições parceiras, onde o EXPRESSO do Oriente esteve presente. Depois de evocar memórias de iniciativas passadas e de percorrer alguns dos números acima referidos, a vereadora resumiu: “A energia BIP/ZIP é isto, pensar, projectar e aplicar ideias de desenvolvimento na cidade e ver os seus contributos espalhados por todo o território, seja um parque infantil, um skate park, um espaço de convívio intergeracional…”.

Na loja comunitária que congrega a Junta de Freguesia dos Olivais e uma série de parceiros que actuam no Bairro Bensaúde, marcaram ainda presença a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, a presidente Rute Lima e representantes de várias entidades, da Gebalis às associações promotoras de cada um dos 11 projectos da zona oriental. Todos se reuniram, no final, para uma fotografia de grupo.

Entre os protocolos celebrados neste primeiro dia de assinatura de projectos, contam-se, a título de exemplo: “Marvila é para todos”, promovido pela Associação Salvador, que vai sensibilizar os jovens para os problemas que afectam as pessoas com mobilidade condicionada; “Desde pequenino se faz o figurino”, da Associação de Reformados do Bairro do Condado, que vai colocar crianças e seniores a trabalhar juntos em torno da moda e da costura; o “Estúdio Aberto”, da Associação de Residentes do Alto Lumiar, que vai intervir junto dos jovens da Alta de Lisboa para prevenir comportamentos de risco; ou o “Ecodesign solidário”, na Boutique da Cultura em Carnide, que vai reciclar o lixo que normalmente deitamos fora para integrar pessoas em risco de exclusão. Todos os projectos estão disponíveis para consulta na plataforma online do programa.

Seguem-se as cerimónias protocolares nas restantes zonas (Centro e Ocidental, Norte e Centro Histórico), que decorrem até 12 de Outubro, e depois… mãos à obra!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close