Destaque

Cuidados redobrados para vencer o vírus

Após a reunião do Conselho de Ministros de hoje, dia 10 de Setembro, António Costa apresentou um conjunto de medidas que vão entrar em vigor a partir do próximo dia 15, estendendo assim o estado de contingência a todo o território nacional, tal como já acontecia na Área Metropolitana de Lisboa.

O Primeiro-Ministro destacou que os portugueses têm de ter a consciência de que «o controlo da pandemia depende, em primeiro e último lugar, do comportamento individual» e apresentou um conjunto de medidas que serão implementadas a partir do próximo dia 15, tendo em conta o início oficial do ano lectivo, a partir dessa data, e a consequente retoma da actividade que obriga a cuidados redobrados.

Assim, entre outras regras, passam a estar proibidos em todo o país ajuntamentos com mais de dez pessoas, sendo que junto das escolas, o limite é de quatro. Também nas áreas de restauração dos centros comerciais os grupos com mais de quatro pessoas estão proibidos, assim como nas imediações de restaurantes, cafés e pastelarias.

O consumo de álcool na via pública continua interdito, assim como a venda deste produto nas estações de serviço e em todos os estabelecimentos a partir das 20h, excepto quando a acompanhar a refeição nos restaurantes.

Os estabelecimentos passam a abrir às 10h, sendo no entanto possível a abertura mais cedo para, por exemplo, cafés, pastelarias, ginásios ou cabeleireiros. Quanto à hora de encerramento, será entre as 20h e as 23h, cabendo a cada município definir em função das necessidades.

Os recintos desportivos vão continuar sem público, porque, refere António Costa, “todos os que já foram a recintos desportivos sabem que o comportamento num cinema ou num teatro é muito diferente de assistir a um evento desportivo”.

Nas escolas e lares, o Governo garante um reforço dos planos de contingência com distribuição de equipamentos de protecção individual e um protocolo específico perante casos suspeitos. Para os lares de idosos, estão criadas as “brigadas de intervenção rápida” com o objectivo de travar possíveis surtos da doença.

«Temos um Serviço Nacional de Saúde robusto e fortalecido, com excelentes profissionais de saúde, mas a melhor forma de ajudarmos os profissionais é evitarmos a propagação. E a melhor forma disso é adotarmos todas as medidas preventivas que dependem exclusivamente de nós, como a utilização da máscara, a lavagem frequente das mãos ou a utilização da aplicação Stayaway Covid», aconselhou o primeiro-ministro.

António Costa acrescentou que se o conjunto destas regras for cumprido, a pandemia não vai desaparecer e até poderá ter um crescimento, mas «será um crescimento sob controlo, e isso será decisivo».

Conheça as novas regras aqui

 

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close