DestaqueNacional

500 anos dos Correios em selo

O Dia Mundial dos Correios é um excelente pretexto para os CTT apresentarem esta quarta-feira, dia 9 de Outubro, uma emissão filatélica sobre os 500 anos do Correio em Portugal. 

Pensa que o logotipo dos CTT sempre foi assim, com um cavaleiro tornado mensageiro, montado no seu cavalo a tocar a corneta? Não senhor.

No Dia Mundial dos Correios, 9 de Outubro, os CTT lançam uma emissão filatélica especial que percorre, em selos, a evolução dos emblemas dos CTT em 1880, 1936, 1953 e 1964. Há ainda um bloco composto por dois selos com os símbolos de 1991 e 2015, completando assim um percurso sobre a marca CTT ao longo dos séculos.

Descrevem os Correios em comunicado: “O selo do logotipo de 1880 a 1936, da Direcção-Geral dos Correios Telégrafos e Faróis é representado por uma carta ao alto, atravessada de ambos os lados por três raios eléctricos, tendo na parte superior a Coroa Real. Estes elementos pretendiam simbolizar o Correio, através da carta; a tutela do Estado, através da coroa real; e, finalmente, os Telégrafos, através dos raios representativos da electricidade/telegrafia. O logotipo de 1880 mantendo as armas reais, símbolo das instituições públicas, aproximava a marca das duas grandes actividades desenvolvidas pela Direcção-geral: o Correio e os Telégrafo. Neste selo está também presente um desenho a aguarela de fardamentos dos funcionários das Ambulâncias Postais Ferroviárias e da Posta Rural e o relatório do Director Geral dos Correios, Telegraphos, Pharoes e Semaphoros, relativo ao ano de 1889”. 

De igual modo, são descritos os logotipos de 1936, com um emblema a representar “o escudo português, armado lateralmente com os raios que simbolizavam as Comunicações (Telegráficas e Telefónicas) encimando a esfera armilar, onde se destacavam as iniciais CTT; mostra-nos também o Edifício da Estação de Correios de Moura, de 1945”, de 1953, com a “imagem equestre de um postilhão, embocando a buzina” e “uma auto-ambulância postal Borgward”, de 1964, com “um desenho mais moderno, uma imagem do mensageiro a cavalo, em que a postura dos intervenientes resulta numa maior sensação de movimento” e “a imagem de um cartaz publicitário da implementação do Código Postal, de 1978” e finalmente, de 1991 e 2015, com o cavaleiro a deixar o trote para passar a andar a galope.

Por fim, o fundo do bloco filatélico é a Carta de Confirmação do Ofício de Correio-Mor, mandada passar por D. José I em 1756 a José António de Sousa Coutinho da Mata com a transcrição dos alvarás anteriores, do mesmo ofício, destruídos pelo terramoto de 1755; e uma corneta de Distribuidor Rural, de 1893, segundo a nota enviada às redacções.

Esta emissão filatélica é composta por quatro selos e um bloco filatélico com um selo. Os selos têm uma tiragem de 105 mil exemplares cada e o valor facial de 0,53€, 0,70€, 0,86€ e 0,91€. O bloco tem o valor de 2€ e uma tiragem de 65 mil exemplares.

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close