DesportoDestaqueSociedade

1650 atletas na São Silvestre dos Olivais

A meros dois dias do final do ano, correu-se mais uma São Silvestre dos Olivais. A emblemática prova fez 31 anos e contou com 1650 atletas.

O corrupio de atletas a aquecer, a confraternizar e a tirar selfies antes da hora marcada para o tiro de partida repete-se todos os anos, como se fosse uma tradição tão importante como, exageremos um pouco, a própria Ceia de Natal.

Na Rua dos Lojistas, nas imediações do Mercado da Encarnação Sul, um pouco por toda a parte junto à partida, colocada como habitualmente em frente à sede da Junta de Freguesia, a excitação é sempre a mesma, faça chuva ou não… mas é sempre mais agradável quando não há sinal de nuvens no céu! E foi assim este ano, à semelhança do ano passado, talvez com menos frio e menos vento. Obrigado, São Pedro!

Chegada a hora marcada – as 19 horas – foi dado o aguardado sinal de partida e eis que a multidão se precipita pelo asfalto fora, percorrendo as ruas dos Olivais, sempre incentivados pelo numeroso público que se vai colocando nas curvas, nas rotundas, na beira da estrada.

Não foi preciso esperar muito mais de meia hora para ver os primeiros a cortar a meta, junto ao complexo desportivo GO Fit, as antigas Piscinas dos Olivais. Paulo Pinheiro, atleta do Linda-a-Pastora, cortou a meta ao fim de 31 minutos e 18 segundos, seguido de Hugo Ganchas (Juventude de Viana), apenas 3 segundos depois, e Filipe Fialho (SL Benfica), vencedor em 2018, que finalizou com 31 minutos e 32 segundos.

Quanto às senhoras, a estreante Carla Mendes, do SC Braga, dominou a prova e terminou em primeiro, registando 38 minutos. Seguiram-se Miriam Martins, dos Ingleses FC (38’45’’) e Soraia Delgado Tavares (39’23’’).

À medida que iam passando os minutos, iam-se aglomerando também os atletas na chegada, onde além do que é costume (medalhas, água, fruta) havia bolos-rei para os que melhorassem a marca de 2018, prémios sorteados pelo GO Fit e até massagens para os mais necessitados. Afinal de contas, muitos haviam de estar a fazer contas para estar no dia seguinte a correr noutro município vizinho…

A 31.ª São Silvestre dos Olivais, que a organização descreve como a mais antiga da capital portuguesa e a terceira mais concorrida a nível nacional (apenas atrás das de Lisboa e Porto), foi apadrinhada pelo tetracampeão europeu de corta-mato nos anos 90, Paulo Guerra. À semelhança do ano passado, voltou a haver uma Mini São Silvestre, com uma extensão máxima de 1200 m, destinada aos escalões mais jovens. Também houve 400 pessoas a participar na caminhada de 4 km.

Coube à presidente Rute Lima, ao vereador do Desporto da Câmara de Lisboa, Carlos Castro, e ao vogal do Desporto da Junta de Freguesia dos Olivais, Duarte Carreira entregar as medalhas aos vencedores. Contudo, é ponto assente que todos os que terminam a prova são vencedores: tanto os “profissionais” que a completam em meia hora e com pouco esforço, como as centenas de anónimos que fazem das tripas coração para completar os 10 km no tempo que for preciso!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close