DestaqueNacionalOutras

Assembleia Municipal pede à Câmara “salas de chuto”

resized_toxicodependenciaA Assembleia Municipal de Lisboa recomenda à Câmara que avance com a abertura de salas de consumo assistido.

A recomendação resulta de uma proposta apresentada pelo BE, que contou os votos a favor de PS, Cidadãos Por Lisboa, PCP, BE, PEV, PAN e PNPN. A bancada do PSD dividiu-se na votação, com um voto contra, cinco abstenções e os restantes deputados a votar a favor. CDS e MPT abstiveram-se.

A proposta prevê a garantia de que nenhuma sala de consumo assistido vai abrir portas sem terem sido consultadas as entidades que trabalham na área e sem que seja envolvida a sociedade civil.

Na apresentação da proposta, o deputado municipal Tiago Ivo Cruz (BE) destacou o facto de as salas de consumo assistido existirem já em mais de 70 localidades e cidades, lamentando que em Lisboa ainda não exista nenhuma.

Pedro Delgado Alves, deputado municipal (PS) e presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, onde deverá nascer a primeira “sala de chuto” de Lisboa, classificou como “fundamental” ter o apoio da população que reside junto a estes equipamentos e deu o exemplo do Bairro da Cruz Vermelha, na sua Freguesia, onde se verificam situações dramáticas de toxicodependentes a consumir nos prédios de habitação.

De acordo com o autarca, o Grupo da Toxicodependência da Comissão Social da Freguesia do Lumiar, o Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) e algumas instituições locais têm vindo estudado a hipótese da instalação de uma sala de consumo assistido na zona da Alta de Lisboa.

 

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close