DestaqueReportagem

Quim Barreiros põe Campolide ao rubro

Quim Barreiros põe Campolide ao rubro

Foi só subir ao palco e fazer a primeira pergunta: “Qual é o melhor dia para casar, sem sofrer nenhum desgosto?”

A multidão respondeu em uníssono: “O 31 de Julho porque depois entra Agosto!”

Quim Barreiros, o rei da música popular portuguesa, levou Campolide ao rubro na noite de 9 de Junho, num ambiente de festa a que os lisboetas não assistiam há, pelos menos, dois anos. Até o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, deu o seu pezinho de dança ao som dos “peitos da cabritinha”, acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia de Campolide, Miguel Belo, e da vereadora da CML, Paula Marques.

Em noite de jogo de futebol a contar para o campeonato europeu, em que Portugal venceu, o relvado da Quinta do Pinto ficou repleto de foliões que ali ficaram a assistir ao jogo mas também a marcar o seu lugar para o concerto que se seguia. A tasquinha estava repleta e, entre um prato de caracóis e uma rodela de chouriço assado, fazia-se tempo até começar o concerto mais aguardado de Lisboa.

O porco no espeto foi o rei das fotografias que alimentavam as redes sociais mas só até ao início dos primeiros sons da concertina, a partir daí Quim Barreiros tornou-se “viral” nos “instagram’s” e nos “directos do face” dos presentes.

Desde o clássico “A Garagem da Vizinha” ao “Quero Cheirar Teu Bacalhau, Maria”, passando pelo arrojado “Rock da Miquelina” ou pelo “Mestre da Culinária”, todos acompanhavam o artista cantando sem que lhes faltasse a voz e até as crianças tiveram direito a um tema onde os pintainhos batem nos tomates lá na quinta da avó, no lugar onde também a vaca da tia, o porco do avô ou a cabra da prima fazem parte da família. Foi uma alegria.

Quim Barreiros arrasta multidões onde quer que actue e Campolide não foi excepção, aliás, cremos que nunca o arraial daquela freguesia teve tanta população a participar, eram milhares, de todas as faixas etárias, mais e menos jovens, e todos sabem, cantam e dançam as músicas deste artista transversal a todos os gostos e idades.

A encerrar a noite esteve o DJ André Couto, antigo presidente da Junta de Freguesia local que, ano após ano, continua a dar música aos campolidenses, sempre por altura dos Santos Populares.

As festas dos Santos à Campolide continuam até ao dia 12, noite de Santo António, onde a cabeça de cartaz è a artista Ruth Marlene. Lá estaremos!

Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close