Início » Reportagem » Petição pelo nome antigo de Santa Maria dos Olivais

Encontra-se a circular uma petição que pretende repor a designação antiga da freguesia dos Olivais: Santa Maria dos Olivais.

A iniciativa partiu de um grupo de cidadãos, fregueses dos Olivais, que se juntaram em torno desta ideia e a levaram ao Padre Bruno Machado, pároco das paróquias de Santa Maria dos Olivais e de Olivais Sul.

O projecto tomou forma, chegou à Junta de Freguesia e tornou-se irreversível: a recolha de assinaturas começou nos primeiros dias de Maio, em pleno 620.º aniversário da freguesia, e neste momento qualquer pessoa pode assinar o texto que está disponível nas duas paróquias e nas instalações da autarquia.

O EXPRESSO do Oriente falou com a presidente Rute Lima e com o Padre Bruno Machado, as pessoas que dão a cara por esta ideia, para perceber os comos e os porquês.

O local onde o pároco nos recebe, em plena Igreja de Santa Maria dos Olivais, é simbólico. O templo antigo está intimamente ligado ao desenvolvimento da freguesia, por ser um dos pólos centrais da zona chamada Olivais Velho.

Uma questão identitária

“Fui contactado por um grupo de cidadãos, meus paroquianos, que se sentem lesados pela forma como o processo foi conduzido. Não tomaram parte na reforma administrativa, nem sequer tomaram conhecimento da mudança do nome da sua freguesia até o facto já estar consumado, nas eleições de 2013. Sentiram-se lesados porque nunca foram ouvidos e não concordam com a mudança”, explica o Padre Bruno Machado.

Para estes fregueses, que se pode dizer que foram apanhados de surpresa, a auscultação da população foi inexistente e por isso a mudança de nome deve ser revertida.

“Apoiei desde a primeira hora, desde que ficasse claro que esta não era uma iniciativa da Paróquia. O meu papel foi o de congregar vontades e agilizar o processo, nomeadamente na redacção do texto da petição e na realização de contactos com a Junta de Freguesia. A presidente Rute Lima acolheu entusiasticamente esta iniciativa, quis associar-se e é a própria Junta que tem promovido a distribuição e divulgação da petição”.

Por seu turno, a presidente Rute Lima reitera o seu apoio a esta acção. Depois de ter trazido o tema para destaque quando lhe dedicou grande parte do seu discurso nas Condecorações Olivalenses, a sessão solene do aniversário da freguesia, a autarca declarou-se primeira subscritora de uma petição que considera que vai “recuperar a identidade da nossa freguesia”.

Para Rute Lima, a petição vem “concretizar algo que desejávamos há muito tempo: passar a escrito uma intenção legítima dos olivalenses em voltar a recuperar o nosso nome, a nossa identidade. No processo da reforma administrativa da cidade de Lisboa, a freguesia passou a ser apenas Olivais, perdendo na denominação a referência Santa Maria. Os envolvidos no processo, incluindo o próprio Patriarcado, entenderam na altura fazer assim. Quem se apercebeu desta mudança ficou triste e descontente, muitos poderão ainda nem sequer ter-se apercebido. Fico feliz por poder subscrever este gesto pela recuperação do nosso ADN, considero que é uma pretensão perfeitamente possível de alcançar, até pela dimensão do processo de recolha de assinaturas”.

País pródigo em situações semelhantes

A situação está longe de ser única no país. De Norte a Sul, são muitas as freguesias, sobretudo as que sofreram um processo de agregação ou alteração do território, que viram o seu nome mudado em 2013 e reverteram ou querem reverter o processo. De Mêda a Lagos, de Gouveia ao Montijo, são múltiplos os casos de novos nomes, sejam eles os antigos, abreviações ou nomes mais consentâneos com a realidade local, histórica e cultural.

Há até um caso paradigmático, que diz respeito à freguesia com o nome mais longo do país: no final de 2014, a União de Freguesias de Vila Real – Nossa Senhora da Conceição, São Pedro e São Dinis passou a chamar-se apenas Vila Real, depois de uma consulta pública.

Em jeito de remate final, o Padre Bruno Machado também define o propósito como “uma questão de identidade”: “se o objectivo era a dessacralização do nome das freguesias, porque é que se criaram em Lisboa as freguesias novas de Santa Maria Maior e Santa Clara? Se não era, porquê alterar o nosso?”.

Numa primeira fase, a petição ainda não está online. Se deseja juntar o seu nome a esta causa, procure nas paróquias ou dirija-se à (por enquanto) Junta de Freguesia dos Olivais!

Sem comentários... Seja o primeiro a comentar!